quarta-feira, maio 07, 2008

Aves

soltas silêncios
prolongados
de medos e angústias
que não tens

prendes gritos
das aves
livres
nas masmorras amordaçadas
do destino

segues caminhos
pela memória adormecida
de amores
perdidos

dormes
sobre a mortalha
da tristeza
dos dias vindouros

acordas as noites
das tempestades
.... acordas ...acordo...
...novamente

Foto e poema de Silvestre Raposo

2 comentários:

Sofia disse...

Inspirador.

N.M. disse...

Bem escrito. :)